top of page

#7 - Marcas e cores, 5 dicas pra escolher sua paleta e case Nubank

Atualizado: 11 de dez. de 2023

Sua pílula quinzenal sobre branding, design e marketing ✨

Branding de propósito - marcas e cores

Ei brandlovers, hoje vim falar da importância da estratégia de cores pro branding. Seja empresa, ou marca pessoal, essa dica vale pra você! Então bora pro conteúdo 👇


NA NEWS DE HOJE

✨ Marcas e cores

⚡️ 5 dicas pra escolher sua paleta de cor

💜 Recursos úteis

💡 Case: Nubank


MARCAS E CORES

Você já achou que a escolha de cor na marca era só um detalhezinho? Errou feio! Cada cor transmite um sentimento e uma percepção de acordo com sua aplicação, e essa escolha deve ser intencional e estratégica.


E não sou só eu que tô falando isso. Estudos mostram que a cor aumenta o reconhecimento de marca em até 80%. Sem falar que a cor é mais fácil de ser lembrada do que o nome da marca.


Branding de propósito - cores e reconhecimento de marca

Pensa comigo: você tá num rolê, vê alguém de longe e o que chama sua atenção primeiro? O visual, né?


Com as marcas, é a mesma coisa. A cor é tipo o look da sua marca, aquele que faz todo mundo virar a cabeça e pensar: "Nossa, me identifiquei muito!".


Branding de propósito - primeira impressao da marca

E olha que 55% das primeiras impressões sobre uma marca são visuais. Ou seja, antes mesmo de saber quem é você, as pessoas já estão julgando como você se apresenta.


Você pode até esquecer o nome daquela pessoa que conheceu nesse rolê, mas aposto que lembra da cor ou a roupa que ela tava usando, principalmente se for uma cor que ela usa com certa frequência.


⚡️ Agora, imagina você olhar pra uma aplicação específica de uma cor e já saber de cara qual é a marca. É como se ela tivesse te dando um "Oi, lembra de mim?" sem nem precisar falar nada.


Mas, ó, não é só escolher sua cor favorita e sair por aí. Tem que fazer sentido, tem que ter uma vibe que combine com o que você tá querendo passar.


É tipo escolher a playlist certa pra cada momento, sabe? Não adianta nada botar um funkão se a vibe pede um mpb.


E já que estamos falando de fazer sentido, a cor tem que ser mais do que um mero detalhe. Ela tem que ser o pacote completo: atemporal, interessante e, acima de tudo, alinhada com o que você é. Porque de nada adianta ser só um crush de verão, a ideia é construir um relacionamento sério e duradouro com o seu público.


Então, bora repensar como você tá usando as cores no seu branding? Porque elas podem ser o match perfeito que você tava procurando!


E fica a dica: 95% das 100 melhores marcas usam apenas uma ou duas cores nos seus logos. Menos é mais, a simplicidade e a repetição são as chaves pra construir uma percepção e deixar esse legado.


5 DICAS PRA ESCOLHER SUA PALETA DE COR

1 - Pesquise a concorrência

Dá uma espiada no que os outros estão fazendo, mas não pra copiar, tá? É mais pra entender o que funciona e o que não funciona no seu mercado. E ver o que já está saturado ou o que já tem de marca proprietária.


2 - Consistência é tudo

Uma vez que você escolheu, tem que manter a linha. Nada de ficar mudando toda hora. Lembra que falamos sobre o poder da repetição? Então, a consistência aqui é a chave pra marcar a memória dos consumidores.


3 - Menos é mais

Não precisa de um arco-íris completo, viu? Lembre que a maioria das marcas de sucesso usa só uma ou duas cores. É mais fácil de lembrar e de aplicar em diferentes situações.


4 - Alinhe com a sua mensagem

A cor tem que ser um complemento da sua marca, e não um elemento solto. Ela tem que ajudar a contar a sua história, a passar a sua mensagem. Então, escolha cores que tenham a ver com o que você e sua marca representam.


5 - Fique de olho nas tendências, mas seja atemporal

É legal saber o que tá na moda, mas lembre-se: modas passam. Escolha algo que possa resistir ao teste do tempo.


O ROXINHO DO NUBANK

Ah, o roxinho! Quem nunca viu um cartão roxo e já pensou: "Nubank!"? É o exemplo perfeito de como uma cor pode virar a assinatura de uma marca.


O Nu não escolheu o roxo à toa. Eles foram lá e pegaram uma cor que quase ninguém usava no mercado financeiro. E não é qualquer roxo, é um roxo vibrante, que chama atenção e que você reconhece de longe.


É a melhor prova de que marcas relativamente novas também podem apostar nessa estratégia. Você não precisa ser uma Coca Cola da vida pra ter uma cor que ativa a memória da sua audiência.



Mas não foi só a cor que fez o Nubank ser o Nubank. A cor é como a cereja do bolo de um branding bem feito. Eles usaram o roxo pra mostrar que são diferentes, inovadores e que tão aqui pra quebrar padrões.


🟣 É uma cor que representa disrupção, inovação e, acima de tudo, simplicidade. Não vou falar que não sou suspeita, não é meixmo?? 🤭


E o mais legal é que o roxo do Nubank virou mais do que uma cor, virou uma comunidade. É comum ver pessoas usando adesivos, camisetas e até mesmo fazendo posts nas redes sociais só pra mostrar que fazem parte do universo "roxinho". É como se ao usar aquela cor, você tivesse fazendo parte de um movimento, de algo maior.


✨ Inclusive esse mesmo termo, "roxinho” já é bastante associado à marca e ao cartão. Já tá enraizado no consciente coletivo.


Pra comemorar os 10 anos de vida, recentemente o Nu fez uma campanha onde nem precisou mostrar o logo ou o cartão. Eram só elementos roxos que já despertavam a lembrança da marca. Só depois, o lettering trazia a marca e o copy da campanha.


Branding de propósito - nubank case

A chamada oficial é "Até onde não tem Nubank, tem Nubank". A ideia é mostrar como a marca se tornou parte do dia a dia das pessoas, e eles fizeram isso de um jeito que só o Nubank sabe fazer: com muita cor roxa!


Ah, e não posso esquecer do Nubank Ultravioleta, aquele cartão roxo cintilante que é puro luxo. É como se o Nubank tivesse elevado o jogo, sabe? Não é só um cartão, é uma experiência. É o roxo em sua forma mais Nu.


Então, o que a gente aprende com o Nubank? Que cor é muito mais do que estética. É estratégia, é posicionamento e, no fim das contas, é identidade. E quando você acerta na mosca, como o Nubank fez, a cor vira até um ativo da marca.


Atualmente não podemos negar que o Nu virou uma super potência, não apenas no mercado financeiro, mas em questão de comunicação também.


Quer receber os recursos especiais que eu passo em cada edição da newsletter? Assine para receber no email 👇

Até a próxima edição! 💜


Beijos,

Clara Ramos

Clara Ramos - Branding de propósito

Meu nome é Clara Ramos, designer há mais de 8 anos e marketeira desde que me conheço por gente, vejo o branding de propósito como uma missão pra mostrar que o design é mais que estética.

Pra mim, o marketing precisar que ser humano, sustentável, valorizando o propósito e a essência de cada marca. E mostro que isso faz parte da performance! Utilizo o design como ferramenta de comunicação poderosa e o conteúdo como chave pra enriquecer a experiência do usuário.

Assina a news e vamos aprender juntos! 👇

354 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page